O Blog destinado a uma tribo com espírito aventureiro, que aprecia as estrelas do céu mais que as do hotel

.

Lima, Machu Picchu e o que mais importa no Peru – A experiência do nosso amigo Daniel Sá em terras Peruanas.

Lima, Machu Picchu e o que mais importa no Peru – A experiência do nosso amigo Daniel Sá em terras Peruanas.

Dados da viagem:

Pessoal, tentei estruturar o texto em ordem cronológica dos passeios. No meio dos textos há dicas de gastos, tempo de antecedência de reserva, etc. Também tentei me ater a detalhes que possam de alguma forma fornecer dicas para os demais viajantes.

O Peru é um país incrível. Há passeios para todos os gostos: familiar, lua-de-mel, aventura, caminhada, praia, neve, montanha, selva, deserto… Eu particularmente fui pra fazer algumas caminhadas e alguns passeios de turista.

Daniel SáViagem de Daniel Sá ao Peru

SP – Lima – Huaraz (Cordilheira Branca) – Cusco – Trilha Inca 4 dias – Machu Picchu – SP
Duração: 15 dias
Data: abril/2012
Gasto: pouco menos de R$3000,00 (incluídos todos os gastos, como compras, refeições, passeios, transportes, taxas, IOF, etc.)
Câmbio: 10 soles = cerca de R$7

 Tempo de viagem

Se você tem poucos dias, vá direto pra Cusco e Machu Picchu. Ir pro Peru sem visitar Machu Picchu é como ir pro Egito e não visitar as pirâmides.
Se tiver mais dias, gaste um tempo nos arredores de Cusco e Vale Sagrado. Ali perto fica o lago Titicaca, lugar imperdível também. Ficar 2 ou 3 dias em Lima também vale muito a pena.
Se tiver 2 a 3 semanas, sugiro incluir outros destinos, como a Cordilheira Branca ou as Ilhas Balestas. Os vales enormes da região do Colca também são fascinantes e merecem alguns dias de visitação.

Lima no Peru

Passagens aéreas para Lima no Peru

Voei pela TACA Airlines. Comprei pelo site mesmo, uns 2 meses antes. O trajeto Lima-Cusco é longo e não vale a pena ir de ônibus. Por isso comprei as passagens SP-Lima-SP e Lima-Cusco-Lima tudo de uma vez, no esquema “rota com múltiplos destinos”. Creio que a maioria das cias aéreas disponibilizam essa opção. Fazendo assim, o preço final das passagens costuma ter um bom desconto. No meu caso, todas as passagens deram cerca de R$1100 no total (incluindo taxas).
PS: Na época, os preços da TAM para o trecho SP-Lima-SP estavam bem competitivos. Dá pra usar milhas também.

Dia 1: SP-Lima

Lima no Peru

Saí de Guarulhos-SP. Pra quem mora em SP-capital,, além de táxi, dá pra chegar em Guarulhos de ônibus executivo (uns R$35, saindo de diversos pontos da cidade) ou de ônibus metropolitano (uns R$4, sai da estação Tatuapé do metrô).
Tempo de vôo: cerca de 4:30.
Em Lima são 2 horas a menos que Brasília.
O transfer aeroporto-hotel em Lima custa cerca de 50 soles para até 4 pessoas. O melhor é fechar com o hotel no momento da reserva.
O hotel que fiquei em Lima chama-se Tinkus (quarto para 2 pessoas custou cerca de 120 soles/dia com café). Fica no bairro de Miraflores. Os melhores bairros para se hospedar são Miraflores e Barranco. Porém, por serem turísticos, são mais caros. Ainda assim acho que vale mais a pena, pois no Centro, por exemplo, pode ser perigoso sair à noite. Reservei o hotel pela internet. Não precisei depositar nada de adiantamento. O atendimento foi muito bom, os funcionários lá foram bem simpáticos e educados, mesmo percebendo que meu espanhol é meia-boca.
Passeio em Miraflores: o bairro é bem simpático, com parques, restaurantes, lojas de artesanato e lojas de roupas. O principal parque é o Kennedy, muito florido e sempre cheio. No primeiro dia dei uma volta a pé, e inclusive deu pra conhecer uma ruína pré-hispânica ali perto (entrada: 10 soles). É muito fácil encontrar estrangeiros nas ruas de Miraflores. O final do dia no deck do shopping Larcomar, de frente pro mar, proporciona um pôr-do-sol muito bonito.
Miraflores tem diversos restaurantes. Na maioria deles, se come muito bem por cerca de 15 soles.

Dia 2: Lima

Praça das Armas - Lima no Peru

Fui pro centro conhecer a Plaza de Armas, a catedral, a igreja de San Francisco e seus respectivos museus (a entrada nestes lugares custam cerca de 10 soles cada). Peguei o “metrô” de Lima, que nada mais é que um ônibus com linha dedicada, parecido com o Fura-Fila de SP. Bem mais barato que táxi, apesar de que táxi no Peru costuma ser barato também.
San Francisco é impressionante. Há tumbas e ossadas possíveis de se visitar, mas proibido de se fotografar. Almocei pelo centro mesmo.
A tarde fui conhecer o bairro de San Isidro. Perto de Miraflores, San Isidro é um bairro bem residencial de alta classe, com alguns hotéis caros. Há praças muito bonitas e uma ruína pré-hispânica (entrada: 5 soles).

Dia 3: Lima (dia) e Lima-Huaraz (noite)

Huaraz no Peru

Neste dia fui no Museu Nacional de Antropologia . Recomendo muito. Por uma “propina”, um guia de ta idéia das história do Peru e da América do Sul, desde a ocupação humana até os dias de hoje, passando pelas diversas civilizações que se formaram por ali, principalmente os Incas.
Mais tarde caminhei por Miraflores e fui numa feira de artesanato bem grande e interessante, ali em Miraflores mesmo.
A noite peguei um táxi até a rodoviária (por 15 soles) pra embarcar pra Huaraz às 22:30.

O trecho Lima-Huaraz-Lima é feito em cerca de 8 horas de ônibus. Os ônibus são muito bons, de última geração, às vezes com serviço de bordo incluído. Há horários durante a noite, então dá pra dormir no ônibus e passear logo de manhã. Eu fui pela empresa Oltursa, mas há boas recomendações de outras empresas. Comprei pela internet cerca de 2 meses antes e paguei 120 soles ida e volta, o que dá cerca de R$95. Fui na classe executiva, com poltronas totalmente reclináveis e apenas 1 assento por lado. Há assentos mais baratos.

Dia 4: Huaraz

Cordilheira em Huaraz no Peru

Cheguei em Huaraz às 6:30 e pouco tempo depois, já havia feito o check-in no Hostel Churup. O táxi até o hostel deu 5 soles. Achei o hostel muito bom, café da manhã simples mas revigorante, com vista para as montanhas nevadas da Cordilheira Branca, e muitos estrangeiros hospedados.
Huaraz é a cidade central da chamada Cordillera Blanca. Nesta parte do país, os Andes se dividem em 2 fileiras de montanhas, uma delas nevada (Cordillera Blanca) e outra não (Cordillera Negra). O chamariz dessa região, sem dúvida, são as paisagens naturais exuberantes de montanhas nevadas, lagos de cor azul petróleo, e diversas ruínas pré-incas. O pico Huascarán é o pico mais alto do Peru e o 5º mais alto do ocidente. Huaraz fica a cerca de 3000 metros acima do mar, mas como a viagem é feita de ônibus, você acaba se acostumando gradativamente com a altitude já na chegada. Ainda assim, não é recomendável fazer muito esforço no primeiro dia. Há muitas caminhadas, de duração variadas, organizadas por diversas cias de turismo. O hotel que você se hospedar pode te ajudar com a organização dos passeios. Na Cordillera Blanca não espere por resorts, cidades cosmopolitas ou estações de esqui. O negócio lá é bem humilde.
Neste dia fiz um passeio para conhecer o “Campo-Santo” de Yungay e a laguna Llanganuco, uma lagoa linda de águas azul-petróleo aos pés do Huascarán (custo do passeio: 30 soles com guia e sem almoço). A vista realmente é incrível. O “Campo-Santo” é a região onde ficava uma cidade que foi soterrada por uma avalanche que ocorreu no Huascarán em 1970, matando quase todos os moradores. O próprio hostel onde me hospedei organizou os passeios pra mim. O único ponto que não gostei foi o fato da cia turística nos ter levado pra almoçar num restaurante mais caro, sem possibilidade de outras opções.
A noite fui jantar na cidade. A refeição média custa uns 10 soles, muito bem servida.

Dia 5: Huaraz

Neste dia fui conhecer a ruína de Chavín de Huántar (custo: 40 soles com guia e sem almoço). Os chavín foram uma das primeiras civilizações da América, bem anteriores aos Incas. Dominaram conhecimentos como hidráulica e construções anti-sísmicas, técnicas posteriormente incorporadas pelos Incas. A ruína é impressionante. Dá até orgulho de ter tido antepassados sul-americanos comparáveis aos gregos e mesopotâmios.

Dia 6: Huaraz (dia) e Huaraz-Lima (noite)

Neste dia resolvi fazer um passeio por conta própria: fazer uma caminhada até a Laguna Churup. O pessoal do hostel me passou as coordenadas, me muni com água, comida, mapa e folhas de coca, e fui pra caminhada.
São horas de caminhada, a maior parte do tempo subindo montanhas, atravessando vales e cânions de tirar o fôlego. Detalhe: você faz o caminho todo SOZINHO (ou com quem for com você), pois não há guia para esses tipos de passeio. Depois de quase 5 horas de caminhada, em alguns momentos verdadeiras escaladas, finalmente cheguei na esplêndida Laguna Churup, de cor azul-petróleo e rodeada de montes nevados, a cerca de 4500 metros de altitude. Havia um casal de patos na água, embelezando ainda mais a paisagem. Inclusive vi uma pequena avalanche de neve na montanha, que apesar de ter sido pequena, fez um barulho assustador, parecido com um trovão bem longo.
Fiquei uns 45 minutos apreciando a paisagem. Parecia que o tempo ia virar, por isso resolvi ir embora.
A volta é bem mais tranquila por ser só descida, mas mesmo assim achei melhor pegar um táxi no meio do caminho, por 35 soles.
Ao final do dia dei uma descansada pra enfrentar as 8 horas de ônibus de volta pra Lima.

Dia 6: Lima

Caminhei pelo bairro de Barranco, lugar bonito e boêmio, à beira do Oceano Pacífico. Há alguns museus e praças lá. Neste dia aproveitei pra fazer umas comprinhas. Artesanato e roupas locais são, em média, baratos se comparados com o Brasil.

Dia 7: Lima-Cusco

Cusco no Peru

Logo de manhã peguei um táxi pro aeroporto de Lima (por 50 soles) e antes do almoço aterrisei em Cusco. O transfer até o hostel custou 20 soles (combinado anteriormente). Em Cusco fiquei hospedado no Casagrande Lodging. A diária custou 20 dólares por pessoa por dia (quarto para 2 pessoas), com café. Apesar de um pouco caro, a localização do hostel é muito boa, bem perto da Plaza de Armas. Porém, há opções mais em conta, um pouco mais afastadas, mas muito bem localizadas também. Creio que vale bem a pena ficar num hotel desses.
Nesse dia caminhei pela cidade. Cusco é muito bonita, com inúmeras ruínas incas, misturadas a diversas igrejas católicas, restaurantes, pubs e infinitas lojas de artesanato inca. O carro-chefe do turismo lá são as ruínas incas localizadas próximas à cidade e no Vale Sagrado, além, é claro, de Machu Picchu. Certamente metade das pessoas que estão em Cusco são turistas estrangeiros, e a outra metade são locais que trabalham na área de turismo.
A refeição em Cusco custa cerca de 15 soles.
Neste mesmo dia comprei o Boleto Turístico (custo: 130 soles), que dá direito a visitar as principais ruínas incas da região de Cusco e do Vale Sagrado. Não é possível visitar as ruínas sem esse boleto. O boleto tem validade de 7 dias, e cada ruína pode ser visitada uma única vez. Há muitas agências de turismo que oferecem transporte e guia para as ruínas. 2 dias são suficientes para se visitar as principais ruínas, mas se puder, fique mais dias em Cusco. Há muitos lugares interessantes para se visitar lá.

Dia 8: Cusco e Vale Sagrado

Vale sagrado no Peru

Neste dia fiz o passeio para as ruínas do Vale Sagrado, um pouco mais distantes de Cusco. O passeio custou 40 soles (além do boleto turístico que comprei no dia anterior). Detalhes sobre esse passeio podem ser encontrados em vários sites, guias, revistas, etc. As ruínas são impressionantes, assim como as informações que os guias passam sobre os incas, que foram exímios agricultores, astrônomos, cirurgiões, arquitetos, engenheiros, e sei lá mais o quê. Há algumas universidades japonesas hoje em Cusco estudando as estruturas anti-sísmicas dos incas, verificando a possibilidade de usar a tecnologia deles nos prédios japoneses.
As construções em pedra impressionam qualquer um. As pedras foram colocadas perfeitamente umas sobre as outras, sem sobrar nenhum espaço entre elas, e sem utilizar nenhum material entre elas. É somente pedra com pedra. E é impossível passar uma folha de papel entre elas.
Neste passeio visita-se uma das maiores feiras de artesanato. É possível pechinchar e fazer bons negócios lá.

Dia 9: Cusco e ruínas mais próximas

Ruinas no Peru

Visitei as demais ruínas que meu boleto dava direito (custo: 30 soles). São ruínas mais próximas de Cusco, mas também muito impressionantes.

Dia 10: Primeiro dia da Trilha Inca

Trilha Inca no Peru

Reservei a trilha inca com 2 meses e meio de antecedência. Se for alta temporada, são necessários até 4 meses de antecedência. Fiz pela agência Cusco Explorer’s. O custo foi de 350 dólares, mas hoje deve estar mais caro. O pacote inclui: transporte até o km 82 (início da trilha), 3 refeições diárias + cafezinho da tarde, porteadores (locais que levam barraca e comida), barraca, entrada em Machu Picchu, visita guiada em Machu Picchu, trem de Águas Calientes até Cusco e transporte até o hotel. A descida de Machu Picchu até Águas Calientes é feita a pé (30 minutos de caminhada) ou de ônibus (8 dólares). Pra quem caminhou 4 dias seguidos, a última opção certamente é a melhor! Eu também aluguei o saco de dormir (15 dólares).

Dias 11 e 12: caminhada na Trilha Inca

Recomendo fortemente a todos que gostam de caminhada. As paisagens são inacreditáveis. Há diversas ruínas que só podem ser visitadas por quem faz a trilha. É para quem tem o espírito mais aventureiro mesmo.

Dia 13: chegada em Machu Picchu.
Neste dia fiz a visita guiada pela cidadela de Machu Picchu. Pra quem for pra Machu Picchu pelo método “convencional” (trem a partir de Cusco), seguem algumas dicas:

  • Comprar o ingresso de entrada com antecedência (se possível 1 ou 2 meses antes), pois várias agências de turismo compram ingressos pra depois revender mais caro. Hoje entram no máximo 2 mil pessoas por dia, mas esse número tende a diminuir. É possível comprar pela internet através do site do governo peruano, usando cartão de crédito Visa. Na época, a entrada estava 150 soles.
  • Comprar a passagem de trem com antecedência (de preferência junto com a entrada para Machu Picchu), pois os melhores horários do dia costumam esgotar logo. O trajeto hotel-estação de trem é por sua conta, mas há vans por 15 soles ou táxis mais caros. É possível comprar pela internet, através do site da Peru Rail. Lá há algumas opções de trem, desde o mais simples até o mais chique. Na época, o trem “intermediário” custava 140 dólares (ida e volta). A viagem de Cusco até Águas Calientes dura cerca de 2 horas, por isso é bom pegar um horário cedo.
  • Chegando em Águas Calientes, corra para a fila do ônibus que sobe até Machu Picchu. Custava na época 8 dólares, e vi muita gente reclamando da fila imensa após um certo horário. Os ônibus começam a sair a partir das 6 da matina, mas os trens não conseguem chegar antes das 8 horas.
  • Em Machu Picchu, há a opção de subir a montanha Wayna Picchu (montanha famosa que aparece em todas as fotos atrás da cidadela). Neste caso, paga-se uns 30 soles a mais na entrada de Mechu Picchu. É importante notar que essa opção precisa ser feita no momento da compra da entrada. Não é possível subir Wayna Picchu sem essa entrada especial. São quase 2 horas pra subir e descer tudo, por isso é importante chegar cedo pra poder visitar a cidadela também.
  • Na entrada de Machu Picchu há diversos guias oferecendo visitas guiadas. Recomendo contratar um em grupo.
  • Pra quem quer conhecer todos os detalhes de Machu Picchu, recomendo dormir em Águas Calientes no dia anterior. Aí é possível pegar os primeiros ônibus que sobem pra Machu Picchu. Mesmo assim tem que madrugar, pois bastante gente faz isso! Teve gente que durante o passeio pra Vale Sagrado, pegou o trem pra Águas Calientes e dormiu lá, sem voltar pra Cusco. Achei uma opção bastante interessante.
  • Pra quem quer conhecer muito todos os detalhes de Machu Picchu e subir Wayna Picchu, o melhor é visitar a cidadela por 2 dias seguidos. De um dia pro outro dorme-se em Águas Calientes.
  • Obviamente, as coisas são caras em Machu Picchu. Uma garrafa de água custava uns 8 soles. É proibido fazer uma “boquinha” na cidadela. Então a dica é comer bem em Águas Calientes e levar alguns chocolates pra Machu Picchu.
  • Não deixe de visitar a Ponte Inca em Machu Picchu. É grátis e leva-se menos de 10 minutos de caminhada pra chegar lá.

Dia 14: Cusco

Aproveitei esse dia pra repor energias da Trilha Inca e passear em Cusco. Há museus (pagos) e lojas de artesanato. Ficar sentado na Plaza de Armas contemplando a vista e as pessoas é bem relaxante.

Dia 15: Cusco – Lima – SP

Cusco no Peru

Com muito planejamento consegui comprar vôos para o mesmo dia. Assim, de manhã voltei pra Lima e no final do dia embarquei de volta pro Brasil. Se você não conseguir arrumar vôos no mesmo dia, terá que voltar pra Lima no dia anterior e ficar uma noite lá.

49 Comentários

  1. Caramba, que super post! Super bacana essa idéia de compartilhar experiências no blog!
    Engraçado ler sobre Miraflores… não dá pra não pensar na “Niña Mala” do Vargas Llosa.
    Sugestões anotadas.
    Bjoca.

    • Legal,né??? É para incentivar amigos a escrever sobre outros países, sabe??? hahahha
      O Daniel é mais um Engenheiro que escreve bem! Não te inspira a nada,nao, Heleninha??? rs
      Beijoks

  2. Ahahahahahaha… mais um? Sei não, acho que meu tempo já foi, Li…
    Bom, quem sabe? Tem que ser alguma viagem econômica, né? Posso escrever sobre Paris, que te parece???
    Bjoca.

    • Paris é sempre um destino que rende muito assunto..Mas v. acha que dá para enquadrar no nosso estilo econômico de ser?
      Se v. não ficou no Four Seasons George V, dá pra gente dar uma trabalhada…rsrss. Bjs

  3. Daniel parabéns pelo post, me ajudou muito, pois terei apenas 4 dias inteiros no Peru e estava muito perdida sobre o que fazer, mas agora já sei, obrigada.

  4. Daniel, estou pensando em viajar para o peru mas tenho algumas dúvidas, você pode passar seu e-mail para me ajudar?

    obrigada

    • Jéssica,

      Se eu puder ajudar, pode perguntar!
      [email protected]

      • para subir Wayna Picchu vc acha q tem q estar em boa forma?? tipo esportistas??? risos

        grata

        • Oi Sandra!

          Desculpe a demora, mas creio que não precisa estar em plena forma física não. Mas não recomendo pra quem quase não faz nenhum tipo de exercício.
          Uma pessoa “normal” leva cerca de 1h pra subir. Por uma pessoa “normal”, entenda-se uma pessoa que faz algum exercício de uns 30 minutos 2x por semana, tipo uma academia, ou que caminhe uns 15 minutos até uma estação de metrô, etc.

  5. Oláaa !!

    Adoreii seu blog !
    E essa viagem é incrível né.. estou indo mês que vem para Lima..
    Posso pegar mais umas dicas com vcs??

    bjs

  6. Um dica interessante: Perto da Plaza de Armas há inúmeros locais cambiais, as taxas são bem mais acessíveis que em Macchu Picchu…. Porém para fazer a troca de reais foi quase impossível!!! Encontrei somente um local que fizesse o câmbio em reais.
    A compra dos ingressos realmente deve ser feita com antecedência. Perdi um dos meus ingressos e quando fui comprar novamente estava o dobro do preço.

    Outra dica: Quando notam que somos turistas, os preços das “lembranças” sobem exorbitantemente. Porém se você chorar algumas vezes rsrs, eles voltam ao seu preço mais justo. Comprei um casaco que foi de 100 soles para 50.

    E por final, espero que vocês aproveitem tanto ou mais que eu!!!

    • Vanessa,

      Super obrigada pelas dicas!
      Aqui é um lugar de compartilhamento de info, especialmente para que possamos continuar viajando bem, confiantes e tranquilos! :-)

  7. Olá parabéns pelo blog e obrigada pelas dicas… vc poderia me dar sua opinião? em Outubro/2013 pretendo ir com meu marido para Cusco e Machu Picchu e programei da seguinte maneira: 06 noites em cusco e três em Machu Picchu… a quantidade de dias está boa? vamos ter o que fazer para tantos dias?

    Vc poderia me dizer a média de gasto diário nesses locais? grata e sucesso!

    • Oi Patricia!
      Pelo que entendi, vocês devem passar 3 dias inteiros em Machu Picchu e 6 dias inteiros em Cusco, certo?
      Para Machu Picchu acho que 3 dias é muito. Depende muito se vocês querem conhecer detalhadamente todo canto de lá. A maioria das pessoas pegam o primeiro trem do dia em Cusco e passam um dia inteiro em Machu Picchu. Mas como o trem demora 2 horas pra chegar, tem gente que vai no final do dia pra Aguas Calientes pra dormir e, no dia seguinte, subir logo cedo pra Machu Picchu. Com isso se ganha 2 horas de visitação. E quem quer conhecer bastante vai de trem pra Machu Picchu num dia, dorme em Aguas Calientes, e no dia seguinte sobe pra Machu Picchu novamente. Agora, 3 dias em Machu Picchu acho que é muito.
      Se vocês pretendem subir o Wayna Picchu, a opção de 2 dias é uma boa, já que a subida e a descida juntas pode levar 2 horas.
      Quanto à Cusco, aí sim tem bastante coisa pra fazer. Depende muito do que vocês querem visitar, mas creio que 6 dias é um período bem bom. Eu fiquei 3 dias inteiros, mas gostaria de ter ficado pelo menos 5. Nesses 6 dias vocês podem aproveitar para conhecer Puno e o Lago Titicaca. O passeio é bem bonito, e dá pra ir num dia e voltar no mesmo dia ou no dia seguinte. Em Cusco tem alguns museus interessantes, muitas ruínas incas, algumas igrejas, muitas lojas de artesanato, pubs pra ir à noite, além do passeios quase “obrigatórios”, que é conhecer o Vale Sagrado. Pra conhecer o Vale Sagrado inteiro leva-se 2 dias, mas pode-se escolher fazer uma visita de 1 dia ou de 3 dias.
      Quanto aos custos, não lembro muito bem, mas existe um boleto turístico que é necessário comprar pra visitar os principais pontos turísticos. Quando eu fui custava cerca de 130 soles, mas hoje deve estar um pouco mais caro.
      Uma refeição bacana é cerca de 20 a 30 soles por pessoa. O transfer aeroporto-hotel custa uns 25 soles por pessoa. Já a diária do hotel eu paguei cerca de 20 dólares por pessoa, mas é claro que tem opções mais baratas e mais caras. Enfim, o gasto médio diário não é tão caro não. Inclua no planejamento o preço dos transfers dos passeios (cerca de 30 soles por dia), mais alguns gastos com compras e barzinhos à noite, e você terá uma ideia bem realista dos gastos por lá.
      Já em Machu Picchu o negócio aperta um pouco mais. Você já deve saber os preços atualizados, mas os preços 1 ano atrás eram mais ou menos assim:
      – Machu Picchu: 150 soles por dia. Se for subir o Wayna Picchu, somar mais 30 soles.
      – Trem Cusco – Aguas Calientes: 140 dólares (total ida e volta)
      – Ônibus Aguas Calientes – Machu Picchu: 8 dólares por trecho
      – Guia: 30 soles por pessoa para um grupo de 10 pessoas
      – Comida e bebida em Machu Picchu são caríssimas. Leve provisões!
      – O táxi do centro de Cusco até a estação de trem custa uns 15 soles.
      – A diária em Aguas Calientes é mais ou menos o mesmo preço da diária em Cusco.

      Se for comprar por conta própria a entrada de Machu Picchu e os boletos dos trens, sugiro comprar com bastante antecedência. Em Cusco, todas as companhias de turismo vendem o pacote completo pra visitar Machu Picchu, mas pode estar certa que eles vão cobrar um pouco mais.

      Enfim, espero que tenha tirado suas dúvidas. Qualquer outra informação é só pedir!

  8. Olá, gostaria de saber sua opinião a respeito de um roteiro que pensei em fazer.

    Consigo sair de minha cidade (Porto Alegre) no dia 19/set, dormir em Lima e pegar um vôo cedo para Cuzco, chegando às 8:00 do dia 20/set.
    Teria que retornar no dia 22/set às 17:45

    Ou seja, tenho 20 e 21/set inteiros, e parte do dia 22/set para alguma atividade leve, pois o vôo volta às 17:45 e só chega em Porto Alegre no outro dia de manhã.

    No dia 21/set, com certeza teria que ser a visita a Machu Picchu. Poderia encaixar alguma coisa no dia 20/set, pois terei o dia inteiro, e talvez alguma exploração próxima Cuzco no dia 22/set.

    Você acha que é uma viagem muito apertada, que não valeria a pena pela mão toda?

    Obrigado.

    • Fala Gabriel,

      Cara, pensando um pouco sobre seu roteiro, tenho algumas observações que podem te ajudar a decidir sobre a viagem.
      Em primeiro lugar, conhecer Machu Picchu é sempre uma ótima ideia, mesmo que se tenha poucos dias disponíveis. Mas considere também os seguintes pontos:
      Eu também peguei um dos primeiros voos do dia pra Cusco. Mas considerando o tempo de desembarque, retirada de malas, transfer aeroporto-hotel, check-in e almoço, perde-se praticamente meio dia.
      Além disso, por causa da altitude, é altamente recomendável não fazer esforço físico no dia que se chega em Cusco pra evitar o “soroche” (mal da altitude). Por isso, a maioria das pessoas faz apenas caminhadas curtas no primeiro dia, conhece o centro de Cusco, passeia um pouco pelas ruas adjacentes, compra algum artesanato, etc.
      Desta forma, a meu ver, o primeiro dia em Cusco é praticamente para aclimatação.
      E mesmo que alguém já esteja aclimatado à altitude, os passeios turísticos pras ruínas adjacentes de Cusco saem de manhã. Então essa pessoa teria que contratar algum passeio particular, ou um táxi, pra poder aproveitar o primeiro dia.
      Seu segundo dia seria dedicado para conhecer Macchu Picchu. Sem problemas.
      No terceiro dia dá pra passear por Cusco, fazer umas compras, etc. Mas análogo ao primeiro dia, também será difícil conhecer as ruínas adjacentes, já que são passeios de um dia inteiro.

      Colocadas essas observações, minha opinião é a seguinte:
      Se o seu objetivo é passear e conhecer a região e as ruínas, ir a museus, conhecer um pouco mais sobre a história dos Incas, então o tempo é bem pouco.
      Mas se sua ideia é realmente conhecer Machu Picchu, e o que vier a mais é lucro, então vale a pena ir sim, pois realmente Machu Picchu é um lugar mágico, e com certeza vai te deixar com vontade de voltar lá com mais tempo. Seguindo essa linha, se você não tem nenhuma previsão de disponibilidade pra ir nos próximos anos, e essa será sua única oportunidade, então nesse caso eu iria. Mas se puder esperar um pouco pra planejar melhor e ter mais tempo pra ficar lá, então eu iria depois com mais tempo.

      Espero ter ajudado um pouco. Qualquer outra dúvida é só falar!!

      Att,
      Daniel Sá

      • Ola, Daniel! Achei bem legal sua viagem e suas dicas tb. Estou indo para ficar 12 dias. Tenho um roteiro pre-determinado (+ ou -)… irei fazer a trilha Jungle de 4 dias, já que a Inca Clássica estava esgotada. Minha dúvida é como vc fez com relação câmbio, saques, cartão crédito…pois penso que não seria prudente andar com muito $ por lá. Como vc fez? Agradeço se puder dar mais umas dicas sobre isso. Valeu e ab!

        • Fala Ricardo,

          Sempre é bom levar uma grana em espécie sim. Leve dólares mesmo. Se você não fechou o transfer aeroporto-hotel junto com a reserva do hotel, terá que pagar o táxi. Considere isso quando for trocar um pouco no aeroporto.

          No aeroporto eu troquei um mínimo pra poder comer um lanche enquanto esperei por um amigo, que chegou num outro voo. O câmbio no aeroporto é menos vantajoso que na cidade.

          Fora do aeroporto, deu a impressão que o câmbio é regulado pelo governo, pois estava o mesmo valor em todas as casas de câmbio que fui. Tanto em Lima quanto em Cusco, a cotação estava bem parecida. Chegando no hotel, peça pro atendente te indicar alguma casa de câmbio próxima que seja confiável.

          Eu levei uns 600 dólares em dinheiro, incluindo parte do valor da trilha que eu deveria pagar em dinheiro pra agência. Ou seja, sobrou cerca de 425 dólares em dinheiro pra mim.

          Alguns gastos maiores eu já tinha pago aqui no Brasil pelo cartão de crédito internacional (por exemplo: passagens aéreas; reservas de hoteis; transfers).

          A maioria dos lugares que fui aceitava cartão de crédito numa boa. Mas lembre-se que a maioria dos lugares deu um desconto maior se o pagamento fosse em dinheiro.

          Além disso, há diversos ATMs em que é possível sacar dinheiro usando o cartão de crédito, apesar das altíssimas taxas cobradas pelas empresas.

          Quanto à segurança, não achei perigoso não. Mas como em todo lugar, todo cuidado é pouco! Segui as regras de todo bom turista: dividi o dinheiro em vários compartimentos das malas trancadas com cadeado; andei com uma “doleira” (bolso falso) por baixo das calças; não mostrava meu dinheiro quando ia fazer um pagamento; etc.

          Enfim, creio que não precisa levar muito dinheiro em espécie não. Faça um cálculo dos gastos diários e adicione uma reserva. E nas ruas, é só tomar o mesmo cuidado que você tomaria em qualquer outro lugar. E certamente sua viagem será perfeita!

          Espero ter ajudado um pouco.

          Boa viagem e depois mande seus relatos aqui no site!

          Att,
          Daniel Sá

          • Valeu Daniel! Brigadão pelas dicas, ab. Ricardo

  9. Daniel,

    Tudo bem? estou querendo ir ao Peru em setembro, como vou viajar sozinha, gostaria que me hospedar em lugares mais seguros e pagar ate um pouco mais caro. Gostei da dica do bairro de Miraflores, mas, em cuzco,tem algum hotel legal tb?

    Ja me falaram que viajar sozinha para o Peru nao é muito segur? o que acha?

    • Oi Vivian,

      É sempre um pouco difícil falar sobre segurança em lugares que a gente não conhece direito. O melhor é eu te passar minhas impressões e então você poderá comparar com a experiência de outras pessoas que também foram pro Peru.

      Cusco é uma cidade totalmente voltada para o turismo. Por isso geralmente é seguro passear por lá. Se sair à noite, veja se não é mais vantagem voltar de táxi pro hotel. Evite expor publicamente sua carteira, celular, etc. Durante o dia achei bem tranquilo pra caminhar, comprar e fazer os passeios.
      Quanto à hospedagem, recomendo qualquer hotel que fique perto do centro. Mesmo aqueles que ficam alguns quarteirões mais afastados me pareceram tranquilos.

      Miraflores me pareceu um bairro bem tranquilo. Mas em Lima, seja em qual bairro estiver, durante a noite é bom evitar sair com muito dinheiro, celular caro, câmera fotográfica cara, etc. E, claro, evitar de andar sozinha em ruas pouco movimentadas. Eu, particularmente, não fiquei sabendo de nenhum caso de roubo à turistas enquanto estive lá.

      Qualquer viagem que se faça sozinho tem que tomar um pouco mais de cuidado, mas na minha opinião são os mesmo cuidados que se toma em qualquer lugar do mundo. Pelo que vi lá, não tenho nenhuma recomendação adicional relacionada à segurança.

      Conheci alguns brasileiros em Cusco que viajaram sozinhos e, algumas semanas antes de viajarem, conheceram outras pessoas pela internet que também iam pra lá. Eles entraram no mochileiros.com e procuraram por pessoas que iam fazer a mesma viagem no mesmo período, e combinaram de se encontrar lá. Deu certo. Pode ser uma boa pra você também.

  10. Daniel,

    Obrigada pelas dicas.

    • Vivian, sua viagem ainda está programada para setembro? Tô planejando ir em novembro e procuro cia. Qualquer coisa entra em contato! Abs

  11. Boa Noite Daniel,

    Vou para Cusco em dezembro, vou passar um mês para fazer um curso de espanhol já tenho estadia, café da manhã e jantar incluido nos custos do curso.

    Quanto mais ou menos você acha que devo levar para almoço, passeios e fim de semana por lá?

    Desde já muito obrigada!

    • Oi Priscila, tudo bem?

      1 mês é tempo de sobra pra passear por lá. Só não sei quantos dias você terá livre.

      De qualquer forma, há 1 ano e meio atrás, eu almoçava normalmente por 20 ou 25 soles. Considere que isso foi há 1 ano e meio atrás e que era baixa temporada. Creio que dezembro deva ser alta temporada.

      Da pra pesquisar na internet os preços dos principais passeios: Machu Picchu (incluindo trem) e Vale Sagrado. O preço do boleto turístico deve ser fácil de achar também.

      Considere passar um fim de semana na região do Lago Titicaca!

      Não esqueça de reservar uma verba para comprar artesanato, blusas, tecidos, etc.

      Qualquer outra dúvida é só falar! Boa viagem e aproveite!!

  12. Daniel, vou trabalhar no Peru por 3 dias, fico do dia 09 a 12 de nov e mudei minha volta para dia 16.nov para conhecer Machu pichu, ou seja, tenho dia 13, 14 inteiros e 15 metade do dia, pois meu voo de volta é 00:40 em Lima. Estou perdidinha … rsrsrs, e vou sozinha, e decidi isso ontem. Não sei por onde começar. De lima vou direto para Machu Pichu ? ou vou para Cuzco e depois Machu pichu.
    De lima para lá, a única opção é ir de trem ? Qto tempo leva ?
    Help me, please !!!!

    • Oi Michelle tudo bem?

      Então, de Lima você terá que pegar um voo pra Cusco. É a “ponte-aérea” peruana: tem bastante voos e leva cerca de 1h. As principais cias aéreas são TACA e LAN. Tente pegar o voo mais cedo do dia 13. Não sei se compensa vc ir no dia 12 a noite, pois é recomendável não fazer esforço no primeiro dia em Cusco por causa da altitude. Se vc não tiver problemas com a altitude e for pra Cusco no dia 12, no dia 13 vc acorda bem cedo e procura um passeio pras ruínas próximas de Cusco. Esses passeios levam o dia inteiro.

      Se for dia 13 de manhã, após o check in no seu hotel, vc pode fazer um passeio tranquilo pelo centro de Cusco. Ou até mesmo verificar nas inúmeras cias turísticas passeios de meio período nos arredores de Cusco.

      Mas não se canse muito pois no dia 14 vc vai madrugar! Vai pegar um trem bem cedo até Aguas Calientes e subir de ônibus pra Machu Picchu. Coloque uns chocolates, barrinhas de cereal, biscoitos, etc na mochila. Capa de chuva e protetor solar também.

      Na entrada de Machu Picchu tente contratar um guia turístico. Grupos se formam fácil e rapidamente.

      Tanto as passagens ida-e-volta de trem quanto a entrada em Machu Picchu você pode comprar antecipadamente pela Internet. Ou então comprar o pacote completo em Cusco, em uma das cias turísticas. O ônibus que sobe de Aguas Calientes pra Machu Picchu não tem como comprar antecipado: só lá na hora. Tente pegar o primeiro trem do dia, senão forma fila pra pegar o ônibus.

      Como você terá cerca de meio período pra visitar Machu Picchu, não recomendo subir Wayna Picchu. A subida e a descida podem levar 2 horas. Porém, se decidir subir, precisa informar na hora da compra do bilhete de entrada de Machu Picchu, pois tem um adicional.

      Dia 15 dá pra passear mais um pouco no centro ou arredores de Cusco, comprar uns artesanatos, etc.

      Enfim, qualquer outra dúvida que eu puder ajudar é só falar!! E boa viagem!!

  13. Adorei as dicas! Quero voltar logo para o Peru! Eu deveria ter visto seu blog antes de ir :(

    Jéssica
    http://casalnomade.blogspot.com.br/

    • Eu também quero voltar lá, Jéssica! Na época que fui, fiquei com muita vontade de conhecer Paracas/ Islas Balestas e o Lago Titicaca!

      Daniel

  14. Oi Danie, adorei o seu roteiro! Queria saber se a passagem área está incluida nos seu gastos de R$3000,00?

    Desde já Obrigada!

    • Aline, se não me falha a memória, o aéreo estava incluso no orçamento dos R$3000 sim. Lembro que todos os hoteis que fiquei eram do tipo “low cost”, tipo hostel. Ajudou bastante pra baratear o orçamento.

      Lembro também que o trecho Lima-Cusco era bem em conta. Por isso pode valer a pena comprar este trecho e usar milhas pro trecho Brasil-Lima.

      Só não sei se hoje os preços inflacionaram…

      PS: na época o dólar estava uns R$1,85 o que também ajudou bastante no orçamento.

      Eu também não abusei em restaurantes nem em compras, lembrancinhas, etc.

      Daniel

  15. Viajaremos em agosto deste ano. Pergunto: é boa época ?
    Pela cotação de um pacote da cvc passagem aérea lima/cusco/lima com traslados e 3 noites em cusco; excursai a Machu Picchu e seguro viagem por USD 1.475,00? Gostaria de dicas mais em conta pois pelo seu relato, prefiro sair com tudo agendado do que ter surpresas e ficar sem visitar o principal.

    • Oi Elizabeth, tudo bem?

      A época me parece boa sim, ainda mais se vocês gostam de frio, pois ainda será inverno, e lá é bem frio. É temporada seca, e boa parte dos preços já deverá “ter voltado ao normal” após a alta temporada de junho/julho.

      Viajar com pacotes de cias turísticas, via de regra, sempre é mais caro que viajar por conta própria. Seu caso não me parece ser uma exceção. Mas muita gente prefere o comodismo de não ter que correr atrás de passagens aéreas, reservas de hotéis, passeios, etc.

      Não é difícil agendar tudo por conta própria, porém demanda um pouco de tempo e disponibilidade. O ingresso a Machu Picchu compra-se pela internet, com cartão de crédito internacional. A passagem ida-e-volta do trem também. Passagens aéreas e reservas de hotéis é o mesmo processo que qualquer outro lugar. Demais passeios (Vale Sagrado, Lima, etc) fecha-se na hora, em qualquer agência que você quiser ou as que o hotel sugerir.

      Sem contar que é possível emitir passagens aéreas com milhas, caso você tenha, deixando a viagem mais em conta. Algumas cias turísticas oferecem apenas o pacote terrestre, pra deixar o cliente mais à vontade em relação à passagem aérea.

      Pra você ter uma idéia de gastos e mão-de-obra que se tem pra reservar tudo por conta própria, seguem alguns links para consulta:

      Passagem aérea: consultar nos sites das cias aéreas que vão pra Lima (Tam, Gol, Taca, Avianca, Lan). No decolar.com e no Submarino Viagens é possível consultar rapidamente as cias aéreas e os preços, mas é sempre aconselhável confirmar preços/ datas/ horários de vôos nos sites das próprias cias aéreas.
      O aéreo Lima-Cusco é a mesma coisa: Taca, Lan e Avianca fazem o trajeto.

      Entrada de Machu Picchu: http://www.machupicchu.gob.pe/
      (selecionar “Lugar a Visitar” -> MachuPicchu; “Seleccione la ruta” -> machupicchu; escolher a data da visita. Por exemplo, para o dia 4/ago o preço apontado no site foi 126 dólares por pessoa – preço para visitantes estrangeiros. Caso queira subir Wayna Picchu, você tem que escolher esta opção e o horário que você vai subir, e o preço é um pouco mais caro)

      Trem até Águas Calientes: http://www.perurail.com/es/
      (selecionar “Compra em Linea” -> selecionar “ida y vuelta” -> “a donde quieres ir”: Machu Picchu; “Rutas”: a melhor opção é Cusco > Machu Picchu, mas se não tiver mais vagas, é possível sair de outras estações. Você terá que pegar um táxi ou algum outro transporte até a estação. Para o dia 4/ago o preço ida-e-volta no trem convencional está entre 48 e 65 dólares por pessoa, dependendo do horário de saída)

      O ônibus que sobre de Águas Calientes até o santuário você paga na hora, mesmo se for com pacote turístico. Atualmente deve estar algo entre 20 a 30 dólares por pessoa (ida-e-volta)

      O hotel você pode consultar pelo site ou email. Além dos hotéis que eu citei no meu texto e os hotéis da cia turística, você pode pesquisar por referências em sites como o Trip Advisor.

      Espero ter ajudado. Qualquer dúvida dá um toque aqui!

      Daniel Sá

  16. Querido Daniel,
    Estou igual a cego em tiroteio, estou indo para o Peru-Lima saindo de Salvador-Bahia, disponho de pouco dinheiro e quando vou buscar as promoções das empresas aéreas elas nunca trazem os preço de taxas e imposto de serviço, no final a passagem vai lá pra cima.
    Gostaria que me indicasse melhor maneira, Já tentei ir ilhéus-São Paulo, São Paulo-Assunção (Paraguai), Assunção-Peru-lima mesmo assim ainda ficou cara. Pensei até na possibilidade ir de ônibus até Sampa e de Sampa pelo melhor caminho quem sabe até em um daqueles ônibus que vão para Paraguai com compradores. Mas pesquisando vir que são 3 dias até a fronteia do Peru. Se ainda houvesse comigo um grupo.
    Assim fica o convite para quem deseja viajar em grupo até peru no mês de agosto/2014.
    Beijão Gi
    Skype e e-mail: [email protected]. (Espero noticias)

    • Oi Gi tudo bem?

      Bom, vamos lá:

      Com relação às taxas, basicamente nós pagamos as taxas de embarque para cada voo. Não existe uma maneira de fugir dessa taxa. Mesmo quando emitimos uma passagem utilizando milhas do cartão de crédito, nós temos que pagar a taxa de embarque à parte. Portanto não tem pra onde correr! A única saída é encarar as taxas!

      Cada país tem seu valor de taxa de embarque estipulado. O valor depende do voo ser nacional ou internacional, e às vezes muda de aeroporto pra aeroporto também. A taxa para voos internacionais é mais cara. Quando vamos comprar uma passagem aérea diretamente pelo site da cia aérea, geralmente o preço final já contém o valor das taxas de embarque. Em sites de busca de passagens (como Decolar.com) geralmente as taxas não aparecem nos preços. Por isso às vezes eles dão a “falsa” impressão de serem mais baratos que o site da cia aérea. Uma dica é confirmar o preço da passagem no site da cia aérea após ter feito a busca no site de buscas.

      Com relação à sua viagem: agosto é considerado alta temporada pelas cias aéreas (fim do período de férias escolares). Além disso, já está em cima da hora! Por esses 2 motivos as passagens que você está pesquisando estão caras. E infelizmente não creio que vão baixar agora. Fiz uma pesquisa rápida no decolar.com pra passar uma semana em Lima saindo de Salvador, e os preços que achei estão entre R$1400 e R$1900 (mais taxas de embarque)

      Se não estiver muito em cima você pode emitir as passagens com milhas. Neste caso você precisará pagar as taxas de embarque, conforme discutimos acima.

      Sobre fazer pinga-pinga em diversos aeroportos: eu não gosto desta alternativa porque as cias aéreas geralmente cobram mais caro assim do que comprar o trecho todo de uma vez (com escalas incluídas). Além disso, você tem que pagar as diversas taxas de embarque, precisa ter tempo disponível pra esperar nos aeroportos, e de quebra existe a possibilidade de ter que pernoitar em alguma cidade no meio do caminho, pois pode ser que não tenha voos no mesmo dia que encaixe no seu trajeto. Neste caso você tem que incluir no seu orçamento uma diária de hotel, alimentação, táxi do aeroporto pro hotel e no dia seguinte de volta pro aeroporto…

      Sobre ir de ônibus: aí neste caso é uma escolha bem pessoal. Quando eu fui, vi que tinha um ônibus que sai do terminal do Tietê em SP e vai pra Lima em 5 dias de viagem (na época era a viagem rodoviária mais longa do mundo!). O ônibus só parava para refeição rápida e banheiro. Acho que 3 motoristas se revezavam no volante. O bom é que você passa por vários lugares diferentes (Pantanal, Acre, Cusco) mas sem tempo pra descer e passear. Porém, além de tempo disponível, tem que ter muita paciência pra ficar 5 dias num ônibus, mais uns 2 dias no destino pra se “recuperar” da longa viagem!. É importante não ter nenhum problema de coluna ou algo do tipo, pois deve incomodar bastante! Além de você ter que incluir 5 dias de alimentação no seu orçamento, e refeição em beira de estrada geralmente é ruim e cara! Não lembro se tinha parada pra tomar banho, mas mesmo se tiver, deve ser bem incômodo tomar banho em beira de estrada! Enfim, eu não encararia uma viagem dessas, mas aí é de cada um!

  17. Olá!
    Gostei de suas dicas. P
    Não sou jovem;tenho quase 62 anos,mas com espírito jovem.
    Adoro viajar e quero ir ao Peru. Vendo suas dicas até que fiquei animada.
    Creio que irei sozinha. Gostaria de saber quanto , mais ou menos,poerei gastar numa viagem dessa,por favor.
    Ah,moro em Vitória,Espírito Santo.
    Muito obrigada, desde já.
    Parabéns pelo seu trabalho.
    Karmen

    • Oi Karmen, tudo bem?

      Já faz um tempinho que eu fui, portanto o valor que eu gastei pode estar defasado aos valores atuais. Além disso, fui no esquema “low cost”, passando alguns perrengues pra economizar, e também emiti meu bilhete com milhas, o que ajudou ainda mais na redução dos custos. Sem contar o câmbio que estava bem mais favorável 2 anos atrás.

      Pra te dar um norte, você precisa definir algumas variáveis para começar a fazer seu orçamento. As principais são:

      – Duração da viagem: é claro que quanto mais tempo ficar lá, mais vai gastar, principalmente com estadia e alimentação.
      – Época da viagem: se você for em alta temporada certamente pagará mais caro em hoteis. E a passagem aérea também ficará mais cara. Um bom lugar pra começar a ver preço de passagem é no site http://www.decolar.com
      – Lugares a visitar: lugares turísticos são mais caros que lugares pouco famosos. Se você pretende visitar as principais atrações turísticas, prepare-se pra gastar um pouco mais.
      – Tipo de estadia: diária de hotel costuma ser um dos primeiros itens numa lista de gastos com viagem. Escolher o hotel é algo pessoal. Há quem prefere hoteis melhores, bem localizados, com bom serviço, e por isso não ligam de pagar mais caro.

      Acho que coloquei uma média diária dos meus gastos no meu texto original. Aplique uma inflação e terá um valor presente aproximado. Não esqueça também de considerar o câmbio que hoje está bem diferente.

      Outra dica: verifique se a época que você planeja ir é época de chuva ou frio. Machu Picchu fica quase inacessível na época de chuva (janeiro ou fevereiro, se não me engano).

      Assim que você tiver mais detalhes do seu roteiro envia outra mensagem aqui que a gente tenta te passar umas dicas mais detalhadas!

      Att,
      Daniel

  18. Boa noite Daniel, eu como peruano gostei muito das suas dicas, voce deveria percorrer todo o nosso país e eu se que vai se agradar mais e ate tlavez nao vai quer voltar rsrsrsrsrs.
    Bom Daniel eu sou formado em ciencias administrativas e turismo na universidade de Cusco, e já teve essa sorte de morar em Sao Paulo e agora que voltei para o Peru montamos aqui no Peru a nossa operadora de turismo chamada Viagens Machu Picchu, Operadora única e exclusivamente para os brasileiro que desejem conhecer Machu Picchu e Peru.
    Nos da Viagens Machu Picchu sempre estamos dispostos a ajudar a qualquer pessoa sem compromisso de compra e simplesmente queremos que tudos venham e curtam a nossas paisagens.
    Att: Juvenal Rondan

  19. Olá Daniel!
    Primeiramente parabenizo pelo trabalho que fiz em ajudar aos brasileiros que desejem conhecer Machu Picchu, quem escreve é um amante da cultura brasileira e graças a deus já teve a sorte de morar no Brasil por um bom tempo, agora voltei ao Peru – Cusco para montar a nossa operadora de viagens somente para os brasileiros que desejem conhecer a nossa historia e cultura com guias locais e conhecedores do idioma português.
    Gente se alguém esta precisando de dicas e recomendações dos outros destinos do Peru como Lago titicaca, puno, Arequipa, Nazca, Paracas, trujillo, Huancayo, fico a sua disposição para ajudar;lhes sem nenhum compromisso e assim eu poderia contribuir a que muita gente venha a visitar esta terra maravilhosa herdada por um cultura milenar. visitem nosso site > http://www.viagensmachupicchu.com.br

  20. Ooi, tudo bem?
    Vou fazer um intercambio de 1 mes para o Peru em dezembro/janeiro e queria tirar algumas duvidas.
    1- Qual cidade voce achou que tem uma melhor infraestrutura, Lima ou Cusco?
    2- Como são os meios de transporte públicos no Peru? funcionam, tem bastante opção..?
    3- Eles costumam ser receptivos com estrangeiros?
    Obrigada e parabéns pelo post. Ficou muito legal!

    • Olá Tatiane, tudo bem?

      Depende do que você quer dizer com melhor infraestrutura. Lima é a capital e maior cidade do país, e como toda cidade grande, tem tudo lá: restaurantes, muitos hoteis, transporte público, parques, agitação noturna. ônibus e “metrô” funcionam bem (coloquei metrô entre parênteses pois é mais para um VLP como o fura-fila de SP). E também tem os problemas de cidades grandes: trânsito, custo de vida maior, locais mais perigosos que devem ser evitados por turistas, etc. Não lembro de ter pego transporte público à noite, por isso não posso dizer se é bom ou se é seguro. Durante o dia foi tranquilo, como qualquer cidade grande do Brasil.

      Cusco é uma cidade bem menor, dedicada quase que exclusivamente para o turismo. Por isso, minha impressão de lá foi de que a estrutura para turismo (passeios, cafés, restaurantes, hoteis, etc) é muito boa. Outros serviços já nem tanto. O único transporte público que funciona bem lá é o trem para Águas Calientes/ Machu Picchu.

      Os peruanos são muito receptivos com brasileiros, pelo menos nos lugares que visitei. Eles gostam bastante do Brasil. Inclusive eles gostam de imitar algumas coisas que são moda no Brasil, pois ele nos adotam como referência para algumas coisas (moda, por exemplo). Quanto a este ponto tenho certeza que você não terá problemas.

      Como o seu caso é um intercâmbio, não sei se você terá muitos dias livres para passear. Tente ir no máximo de lugares possível (que esteja dentro do seu orçamento). Caso não tenha muita escolha, tente ficar pelo menos 7 dias em Cusco. Se puder escolher quantos dias vai passar em cada cidade, acho que 15 dias em Lima e 15 dias em Cusco está de bom tamanho. Tente passear bastante nesses períodos.

      Em Lima tire 1 ou 2 dias pra ir pras Illas Ballestas, em Paracas. Lá tente esticar até Ica, onde ficam os oásis. Se gostar de frio e neve, tente ir para a Cordillera Blanca (cidade de Huaráz).

      Em Cusco você pode tirar 1 ou 2 dias pra ir até o Lago Titicaca. Já que você terá bastante tempo, quando for à Machu Picchu, vá no dia anterior para Águas Calientes e durma lá. No dia seguinte, acorde bem cedo e às 8h você estará em Machu Picchu. O peesoal que vai direto de Cusco começa a chegar às 10h, então você ganhará 2h pra poder conhecer o lugar todo.

      Caso tenha tempo, visite também os canyons de Arequipa. São lindos!

  21. Olá, bom dia! Gostei bastante do blog, das dicas! Muito legais mesmo!!!! Estou pensando ir, em julho, para o Peru. Queria muito conhecer Lima, Cusco, Machu Picho, mas queria conhecer neve kkkkk (sou do Nordeste kkkkk). Penso ir até Lima e passar uns 4 dias, de Lima, pegar um voo p Cuzco e, junto com Machu picho, passar 3 dias. De lá, ir até Rio Branco e voltar. dúvidas 1- é possível, em 8 dias conhecer um pouco de Lima, Huaraz (c neve), cuzco e machu picho? Não sou de ficar muito tempo….é ir, conhecer, bater foto, comprar uma lembrancinha e volver kkkkkk. 2 – em julho, tem neve? tocamos nela? kkkkkk 3) de cusco até machu picho é longe? 4- sobre segurança, o que vc me diz dessas cidades dq mencionei? treanquilas? Obrigado por disponibilizar um pouco da sua experiência!!!

    • Oi Tiago, tudo bem?

      Acho bem apertado fazer Lima, Huaraz, Cusco e Machu Picchu em 8 dias. Os dias de traslados são praticamente perdidos. Talvez seja interessante acrescentar mais 2 ou 3 dias na sua programação. Se não for possível, considere remover Huaraz. Se ainda assim quiser manter Huaraz, saiba que você não conseguirá ver muita coisa nos lugares. Neste caso, faça uma programação bem detalhada com antecedência pra não perder tempo.

      Julho é bem frio lá. Prepare-se e leve blusas pesadas. Não sei se neva em Cusco, mas há diversos picos nevados, então com certeza você verá neve.

      Lembre-se que julho é altíssima temporada em Huaraz e Cusco. Por isso saiba de antemão que os preços estarão altos, e vários lugares estarão lotados. Faça suas reservas com bastante antecedência.

      Em relação à segurança, achei tranquilo. Lima é uma cidade grande, e por isso não se pode abusar. Eu rodei somente pelos lugares turísticos. Durante a noite fiquei nos arredores de Miraflores, que é um bairro bem turístico e tranquilo. Já em Cusco achei tranquilo caminhar mesmo após anoitecer. E em Huaraz não saí muito a noite pois não tem muito o que fazer lá. Saí apenas para jantar, e também foi bem tranquilo.

      Para chegar em Machu Picchu saindo de Cusco leva-se cerca de 2h30, considerando o traslado até a estação ferroviária, o percurso de trem até Águas Calientes, e depois o ônibus até a entrada de Machu Picchu. Mesmo percurso e mesmo tempo pra volta. Então, se você pegar o trem das 6h00, deverá estar chegando em Machu Picchu às 8h30 aproximadamente. Mais uma vez, tente comprar passagens e entrada de Machu Picchu com antecedência, pela internet, pois se deixar pra comprar lá na hora correrá grande risco de não encontrar mais vaga.

      Qualquer outra dúvida é só falar! E boa viagem!

  22. Falar sobre uma viagem tão sonhada quanto essa é algo muito difícil, porém vive-la com a intensidade que pude sentir é algo Fantástico!!
    Poderia tentar relatar tudo que vi, mesmo assim seria pouco para descrever tanta beleza , enigma , história e delicadeza. Confesso que nisso tudo estar amparada por uma boa equipe foi fundamental, pois que as indicações dadas e momentos apropriados para fazer determinada atividade foram dadas por pessoas que conheciam bem o local e que queriam fazer o melhor .
    Cusco e Machu Picchu respira arte , história e cultura em cada lugar que é visitado.
    Essa viagem agradeço aos guias e a todo povo que me recebeu com atenção e muita presteza.
    toda a viagem foi ótimo aos cuidados da Equipe Viagens Machu Picchu!!!
    http://www.viagensmachupicchu.com.br
    Parabéns pelo trabalho excelente e continuem assim mostrando as riquezas do Peru!!
    Boa Viagem

  23. Para as pessoas que estão percorrendo a Trilha Inca e Trilha Salkantay levem um cantil ou até mesmo garrafa pet, pois é de extrema importância estar hidratado durante toda a viagem, seja na trilha Inca ou na Salkantay. Em alguns trechos há pequenos riachos onde você pode encher seu recipiente; portanto leve também um purificador de água (líquido ou em pastilhas – do tipo Hidrosteril). Isso não faz volume, não custa caro, não pesa e pode evitar uma diarréia!
    Durante a noite geralmente é frio, ainda mais na época das geadas, que é muito frio próximo aos nevados, registrando temperaturas abaixo de 0, sendo assim é importante ter um saco de dormir. Se você não quiser levá-lo (por causa do peso e volume), pode contratar com a sua agência ou operadora por que normalmente já costumam alugá-los, dá pra pechinchar pedindo para incluir no que você vai pagar. Eu levaria o meu, acho uma coisa meio pessoal – risos. Dificilmente você vai conseguir alugar um de “primeira mão”. Boa Viagem!!

  24. Oi Daniel, muito obrigado pelas suas Dicas no blog.
    Gostaria de acrescentar algumas recomendações importantes para as pessoas que estão preparando sua viagem para Machu Picchu.
    – Quem vai a Machu Picchu não pode deixar de fazer as trilhas que levam até lá!
    – Quem quer ter uma bela vista panorâmica deve subir até Huayna Picchu.
    – Faça a pernoite em Aguas Calientes, pois você estará logo cedo em Machu Picchu desfrutando o amanhecer.
    – Compre os bilhetes com antecedência, porque as vezes, se vc quer no mesmo dia da visita pode ficar sem vagas
    Espero que ajude alguém http://goo.gl/hX9Vyq

  25. Uma informação perfeita! parabéns!, só queria recomendar caso você visite Lima, pode ir à praça Kennedy, é um bonito lugar para jantar e depois ir na balada, lugar muito tranquilo, também recomendo ir ao parque del amor, recomendado!, e se for para Cusco, não deixe de pensar ir no centro qosqo de arte nativo, tem um show típico de danças com vestidos muito da zona, você vai adorar!! abraços!!

Comenta aeeee!

.